Eu li…

‘Mensagem’ do Fernando Pessoa.

Fazia algum tempo que não lia poemas em língua portuguesa. Na verdade, faz algum tempo que não leio livros em português… E eu me descobri com saudades do português escrito, do português bem escrito… da nossa poesia… aliterações em português são mais bonitas, ou talvez pq o português é a minha língua materna eu sinta qualquer figura de linguagem mais bonita, que me desculpem E.E. Cummings, Walt Whitman, et al.. Terminei ‘Mensagem’ querendo ler mais em português.

E, durante a leitura, eu acabei com saudade do tempo em que eu decorava as minhas poesias favoritas (lembro ainda de quase todas :)… Na verdade senti saudade do tempo em que eu decorava tudo o que era importante. Hoje não me dou o trabalho de decorar nem meu código postal ou placa do carro, por exemplo. Então, resolvi adotar uma meta não para o 101 em 1001, mas para a vida. Se eu me deparar com um poema ou qualquer outra citação que me toque de alguma maneira, vou me dar o ‘trabalho’ de decorá-la.

Já decorei dois.

4 down 8 to go. 

:)

Anúncios

Ser e estar

A nuvem, a asa, o vento,

a árvore, a pedra, o morto…

tudo o que está em movimento,
tudo o que está absorto…

aparente é esse alento
de vela rumando um porto

como aparente é o jazimento
de quem na terra achou conforto…

pois tudo o que é está imerso
neste respirar do universo

– ora mais brando ora mais forte
porém sem pausa definida –

e curto é o prazo da vida

e curto é o prazo da morte.

Mario Quintana

Terminando de fechar  uma das últimas caixas de livros, peguei um Quintana que estava dando sopa e abri numa página aleatória…

É assim que eu normalmente leio livro de poemas… sem muita ordem… indo e voltando, pulando partes…

Acho que é assim que eu organizo minha mudança também… o esqueleto das coisas já está acertado faz tempo… caminhão alugado… amigos recrutados para dar aquela ajuda sem a qual ficaria impossível mudar… etc etc etc… o que é difícil é encaixotar as coisas… meu problema com isso é crônico… já comecei a encaixotar várias caixas, mas não consigo terminar nenhuma (exceto os livros/DVDs… rsrsrs – Freud explica!?). Vontade mesmo é de largar tudo aqui e comprar tudo novo (e olha que já vendi/doei muita coisa – e provavelmente ainda vou acabar doando mais algumas coisas)…

Acho que minha alma está cansada de mudanças… é a quinta em exatos 2 anos… eu penso no 1˚ de julho e tenho gastura (não apenas no mudar em si, mas em todas as condições chatas que são impostas aos que tem que mudar nessa data)… mas ao mesmo tempo, não vejo a hora de mudar, de não morar mais aqui (não que aqui seja péssimo, não é… mas Ste-Anne me promete tantas facilidades que não dá para não querer já estar lá)… ah, se eu pudesse pular essa parte inconveniente e partir pro abraço!!!

‘No pain, no gain’ I guess…

:)