Desafio literário 2012 / 2013…

O Labor Day ou Fête du travail marca o início do novo ano acadêmico por essas bandas…. e, no meu caso particular, 31 de agosto marca o fim do ano fiscal da empresa, dia em que trabalho mais e fico mais estressadinha para que o fechamento aconteça sem nenhum problema…

E aí que, depois de tão pouco tempo no hemisfério norte, essa junção de recomeços ao meu redor, mais a mudança de estação, mais o feriado, me faz também querer começar alguma coisa… E como não volto às aulas, e como ando lendo muuuito pouco ultimamente (as horas diárias que eu passava no busão faziam a diferença no meu ritmo de leitura), resolvi aderir ao desafio literário de 2012. Versão hemisfério norte, já que o ano novo começa djá ;)

Só que, apesar de eu ter gostado bastante dos temas escolhidos para cada mês, eu já estou com o Darkly Dreaming Dexter em casa, e empolgada para começar a lê-lo; o que me fez inverter o tema de dois meses já que não basta aderir ao desafio com meses de atraso, tem que alterar a estrutura também, (ói como eu sou não conformista!, coff coff, preguiçosa!).

Bom, olhem só as minhas escolhas:

Setembro 2012
Serial Killer – O tema é autoexplicativo, mas para não dar margem às dúvidas, vamos lá: Literatura policial em que há a combinação de (policiais/detetives), investigação e, claro,homicídios seriados.
‘Darkly Dreaming Dexter’ – Jeff Lindsay
Outubro 2012
Graphic Novel – Vamos nos divertir mais! Para quem não sabe, Graphic Novel é um romance gráfico com enredos longos e complexos no formato de história em quadrinhos. ATENÇÃO: não valem gibis, aqueles de periodicidade mensal.
Os livros do Michel Rabagliati contam como graphic novel?! Se sim, minha escolha é ‘Paul au Parc’. Se não, preciso pesquisar mais antes de fazer uma escolha… honestamente não sei a diferença técnica entre comics, comic book e graphic novels…
Novembro 2012
Escritor(a) africano – que tal ler um autor nascido na grande mãe África? Pegue o mapa e monte o seu roteiro literário pelo continente africano.
‘Boyhood: Scenes from a provincial life’ – J.M. Coetzee 
Dezembro 2012
Poesia –  A correria típica do mês pede descanso, especialmente, para a alma. Vamos de lavar a alma com poesia! De qualquer forma e jeito, valem Haicais, acrósticos, épicos,  cânticos, elegias…, em outras palavras, pesquise, pesquise, pesquise!)
No momento tento ler uma coletânea de poemas da Sylvia Plath que eu peguei na biblioteca e estou achando extremamente difícil ler uma obra de poemas do começo ao fim… realmente prefiro ler poemas em doses homeopáticas… sem ordem nenhuma. Masss, tentarei ler Mensagem do Fernando Pessoa (ou algum outro livro de poemas que tenho em casa).
Janeiro  2013
Literatura Gastronômica – mês dedicado ao sabor da leitura. Afinal, leitura sem gosto não tem a menor graça. Em razão disso, propomos um tema leve, divertido e saboroso; sejam em forma de crônicas, poesias, romances, diários, biografia, memórias e demais gêneros que versem sobre a temática da comida.  ATENÇÃO: Livros contendo apenas receitas não valem.
‘My life in France’ da Julia Child foi o único livro desse gênero que eu me interessei em ler. Preciso pesquisar mais sobre as opções antes de fechar minha escolha, mas, a princípio fico com ‘A Homemade Life’ da Molly Wizenberg.
Fevereiro  2013
Nome Próprio (de pessoas) – existem personagens cujo imenso carisma  ganha logo destaque na capa de um livro.  E a regra do mês é essa: só vale livros cujo título contenha nome próprio – e apenas ele -, exemplo: Quincas Borba, Benjamin, Emma. Vai ser divertido e muito fácil caçar títulos do tipo; seja na estante de casa, de uma livraria ou de uma biblioteca.  ATENÇÃO: apenas nome próprio de pessoas! Sem complementos tais com verbo, advérbio, adjetivo e outros. Pronomes de tratamento estão valendo.
Estou entre: ‘Emma’ – Jane Austen e ‘Jane Eyre’ – Charlotte Brontë
Março 2013
Mitologia universal – Romances, poesias, contos que abordem mitos e lendas de culturas distintas (brasileira, Greco-romana, céltica, indiana, mexicana, nórdica, etc…).  É um universo de opções!!! Mas até que Setembro chegue, há um bom tempo para a pesquisa e aquisição. É manda ver.
Não tenho idéia… ainda…
Abril 2013
Escritor(a) oriental – que tal explorar a terra do Sol nascente e demais países do Extremo Oriente e do sul da Ásia? Entram em cena os escritores chineses, japoneses, indianos, coreanos, etc…
Também não tenho idéia… ainda… preciso checar o acervo da biblioteca antes de escolher alguma coisa.
Maio 2013
Fatos Históricos – Esse mês será destinado à leitura de romances cuja trama apresente acontecimentos que marcaram a história nacional ou mundial. Frisando, apenas romances. Não valem livros de História Geral, nem biografias.
‘A Farewell to Arms’ – Ernest Hemmingway
Junho 2013
Viagem no Tempo – romances que abordem a ida de viajantes do  tempo para o passado  ou futuro. Se eles voltam ou não, só a história dirá. Em tempo: Livros científicos ficam de fora.
Novamente, preciso ver o que há de disponível na biblioteca, mas estou entre os seguintes: ‘The Sleeper Awakes’ do H.G. Wells, ‘Slaughterhouse-Five’ do Kurt Vonnegut (acho que é a minha primeira opção), ‘A Connecticut Yankee in King Arthur’s Court’ do Mark Twain e ‘A Christmas Carol’ do Dickens.
Julho 2013
Prêmio Jabuti –  Esse é o prêmio mais importante do cenário literário brasileiro. E conta com 29 categorias, mas para fins do Desafio literário valem apenas as categorias  Livro do Ano  e Romance, de qualquer uma das 53ª edições da referida premiação leitura. Para abrir mais o leque de opções:  Além das obras ganhadoras, é permitida a leitura das obras indicadas ao prêmio. Clique no link abaixo e pesquise:  http://www.premiojabuti.com.br/edicoes-anteriores
Difícil escolher… especialmente pq, até onde vi, só tenho ‘A hora da estrela’ aqui em casa. E não queria repetir leitura. Até onde pesquisei, estão na minha lista provisória ‘Lavoura Arcaica’ do Raduan Nassar , ‘Benjamim’ do Chico Buarque e ‘As meninas’ da Lygia Fagundes Telles. Será que alguma alma caridosa de passagem pelo Brasil faria o favor de comprar um desses livros pra mim? ;)
Agosto 2013
Terror – O tema impõe a regra: tem que ser história que mete medo.  Pode ser suspense psicológico ou sobrenatural, isto é, valem tanto as histórias com personagens sobrenaturais (vampiro, zumbi, bruxas, lobisomem…) como as narrativas com personagens humanos.
Ainda não bati o martelo, mas estou entre ‘Dracula’ de Bram Stoker, e algum livro do Stephen King (‘Carrie’, ‘The Shining’ e ‘It’ em especial).
E é isso… em 30 dias volto com um update sobre o assunto… espero, realmente, conseguir manter o ritmo de 1 livro por mês…
;)
Anúncios

Maurice Richard, a nota de $5 e os 6 graus de separação…

Hey peeps!

Uma das formas que eu gosto de exercitar meu conhecimento de trivia cultural québécoise é tentando encontrar ligações entre “a” e “b”, “x” e “y”, numa brincadeira com a teoria dos seis graus de separação… o que, honestamente, não é nada difícil… hehehehe…

E qual a relação entre o Maurice Richard, ídolo mor do hockey québécois e a nota de $5? Bom, olhe só:

Dia desses estava finalmente terminando de assistir o filme “Maurice Richard”*… terminando pq eu já tinha começado na primavera passada, durante o curso de francês no Centre William-Hingston… eu faltei em uma das aulas e perdi o miolo do filme… hehehe… Enfim, estava terminando de assisti-lo (e de sempre achar graça ao lembrar do Roy Dupuis, ator extremamente querido aqui no Québec – diria quase que uma versão do Tony Ramos – como o Michael em La Femme Nikita… hehehe) quando lembrei de uma animação que tinha visto há um tempão atrás na ONF / NFB.

Esta animação, chamada Le Chandail (versão em inglês aqui), além de fofa, mostra um pouquinho do Québec dos anos 40, e da sua relação com o inglês, com o hockey e com a igreja… realizada pelo Sheldon Cohen, tem como base um conto do Roch Carrier… Por sinal, é o próprio Roch quem faz a narração, em ambas versões.

Tanto o conto quanto a animação são bastante conhecidos pelos canadenses em geral (não necessariamente francófonos) e, uma citação do conto estampa a nota de $5:

Les hivers de mon enfance étaient des saisons longues, longues. Nous vivions en trois lieux: l’école, l’église et la patinoire; mais la vraie vie était sur la patinoire.

The winters of my childhood were long, long seasons. We lived in three places – the school, the church and the skating rink – but our real life was on the skating rink.

E é isso… não chegou a ser 6  graus de separação, mas achei curiosa essa ligação…

Poderia tentar achar os 6 graus de separação entre essa nota de $5 e a Céline Dion… mas passo o desafio… hehehe…

:)

* By the way, recomendo o filme! Novamente, mostra um pouco do Québec nos anos 40… sobre o assunto eu só tenho uma pulguinha atrás da orelha… gostaria de ver um filme anglófono sobre a época… pq eu acho grande parte da produção cultural québécois atual maniqueísta demais, pelo menos no que diz respeito a língua… do tipo: vilão só fala inglês e a redenção da personagem anglófona do mal acontece quando ela começa a falar francês… honestamente acho isso uma simplificação bem besta… Querem saber outra coisa que eu acho besta? Toda a discussão sem fim sobre os Canadiens, o técnico que não falava francês e a brilhante conclusão de que o time andava mal por conta disso…  é, se num time de 26 e apenas 3 falam francês (pq jogador québécois não fica no Québec, ele quer é ganhar milhões, jogando na Florida, ou qualquer outro lugar quente, longe da pressão que é jogar aqui) é a falta de francês do técnico que fez o time não jogar nada…

Eu li…

“Pride & Prejudice”, Jane Austen

Já tinha lido em português anos atrás (tinha medo de não ter um inglês bom o suficiente para entender o inglês do século XIX… bobagem minha, já que o livro é super tranquilo de ler)… E comecei a ler no original ainda no Brasil (!!!). E não enrolei por estar achando ruim, muito pelo contrário! mas a biblioteca, e suas milhares de opções, acabou por colocando Mr. Darcy e Elizabeth em segundo plano…

Mas falando do livro… Ai, que delícia de leitura!! Jane Austen tem um gosto pela ironia que me lembrou Machado de Assis… e eu adoro uma ironia…tanto que, envolvida na leitura, ri alto várias vezes (para espanto dos coleguinhas de busum). E eu adoro quem quebra paradigmas… Confesso que não li muitos romances românticos ingleses (preciso confirmar, mas se bobear, não devo ter lido nenhum… hehehe), mas dá para sentir durante a leitura que Pride & Prejudice, e o estilo de Jane Austen, é algo novo e diferente.

Agora estou com vontade de ler mais Jane Austen… e de assistir a minissérie da BBC (oh, Colin Firth! hehehe). E como foi a minissérie que me trouxe a vontade de ler no original, um ano e pouco atrás, acho fofo que esse círculo se fechou…

:)

Eu li…

Beatrix Potter…

Na verdade li dois livros, um de contos selecionados e o “Fairy Caravan”. Gostei muito de ambos e quero ver se adiciono algum livro dela (talvez “The Complete Tales”) a minha biblioteca.

Eu já conhecia o conto do Peter Rabbit, o coelhinho naughty que desobedece as ordens da mãe e vai até a horta do Mr. McGreggor comer rabanetes, mas depois de ler mais, fiquei maravilhada com a obra da Beatrix Potter… a antropomorfia dos animais, passando pelas ilustrações, o amor que a Beatrix Potter tem pelo campo (a gente sente em cada linha). Como não se encantar com a estória de um porquinho da índia que foge de casa e se junta a um circo de animais (que se apresenta para animais pelos campos da Inglaterra), ou de um esquilo que é tomado por ladrão, ou de uma gata que convida a amiga cachorra para um chá da tarde com direito a torta de rato??? Esse último conto, “The Tale of the Pie and the Patty-Pan” é, sem dúvida, o meu favorito até agora… principalmente pelas ilustrações… olhem só:

Lindo, né? (Tem que concordar, mesmo se não concordar, ok!?)

Uma das melhores leituras que eu poderia ter escolhido para o outono… leitura no sofá, com direito a coberta, um copo de leite e biscoitos… hehehe

:)

Meme Literário 2011 – Parte 5…

Para terminar:

29. Quantos livros em média você costuma comprar por mês? Você costuma comprar livros em sebos, ou prefere as livrarias? Compra muito pela internet?

Também posso dividir essa pergunta em Canadá/Brasil… no Brasil devia comprar uns 3 ou 4 títulos por mês (acho que no mínimo do mínimo, comprava um livro a cada mês)… na Canadá, comprei muitos na vente de livres das bibliotecas de Laval, alguns (2 ou 3, no máximo) em livraria e uns 4 em sebo… o resto peguei na biblioteca. É muito difícil eu comprar livro pela internet (no Brasil eu comprei algumas poucas vezes, aqui ainda não comprei nenhum)… não sei exatamente a razão… talvez por eu ter uma quedinha por livrarias??

30. Qual foi o último livro que você comprou? 

Acho que já falei… comprei “Just Kids” da Patty Smith e “Life” do Keith Richards… estou doida para ler ambos… mas ainda tenho coisa da biblioteca aqui para terminar… ;)

31. Qual o livro que você leu esse ano que mais gostou? 

O que mais gostei de ter lido foi o “A Spaniard in the Works” do John Lennon… foram anos querendo pegar essa belezura na mão!!! Acho que eu também já falei sobre ele… na faculdade de cinema li alguns trechos xerocados do original do professor de oficina de texto e desde então quis ler o livro todinho, no original em inglês… Nunca imaginei que precisaria vir para Montréal para ver isso acontecer! :D

Finis

:)

Meme Literário 2011 – Parte 4…

Quase no fim…

22. Cite um ou dois livros com títulos que você acha interessante.

“Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão”, livro organizado pelo Michel Foucault. Adorava lê-lo no onibus ou metro… hehehe… as pessoas sempre me olhavam com uma cara estranha… mas, apesar de eu ter gostado bastante do livro, dificilmente recomendaria para não advogados, na verdade recomendaria para advogados, psicólogos, (ou quem se interessa por ambos assuntos) ou gente que curte Foucault… o livro, de uma forma bem resumida, é uma coletânea das peças processuais do caso Pierre Rivière (matricídio e fraticídios aconteceram em 1835 quando Pierre tinha 20 anos) e mais a carta redigida pelo Pierre na prisão, contando os detalhes e motivos que o levaram a matar sua família… o livro termina com uma série de artigos sobre o caso, resultado de um seminário do College de France organizado pelo Foucault. A leitura foi muito interessante, e até gostaria de lê-lo novamente… talvez agora em francês… já que eu não me lembro de muito do que foi analisado, infelizmente.

Você costuma escolher livros pelo título?

Não necessariamente… mas um título pode me deixar intrigada o suficiente para comprar ou emprestar…

23. Você costumar ler e-books? Ou prefere o bom e velho livro em papel? Por que?

Tentei ler alguma coisa no telefone, mas a tela é pequena demais e reflete demais… quero comprar um e-reader, mas ainda não rolou… fiquei esperando o kindle novo, mas ele não me agradou…quero algo simples, para não precisar ficar carregando livros muito pesados, não precisa nem ter tela colorida e n funções…  enfim…

24.Você lê um livro por vez ou gostar de alternar a leitura em dois ou mais livros?

Sempre tenho pelo menos dois livros começados… estou tentando reduzir a pilha, para deixar a coisa mais produtiva, mas isso é tão difícil… hehe

25. Tem algum livro que você tenha mais de uma edição do mesmo? Se sim, por que?

No Brasil, sim… mas me desfiz de tudo o que eu tinha duplicado… o que normalmente acontece é eu comprar uma edição mais barata e depois comprar uma edição melhorzinha dos livros que eu gosto muito… acho que o exemplo disso são os livros que eu tive que ler no colégio… a maior parte eram (e ainda são) de edições de vestibular (da folha, do estadão, da ática… etc) e depois começei a comprar edições melhores… quando eu for ao Brasil, uma das minhas coisas a fazer é trocar minhas edições feiosas de Machado de Assis por umas mais bacanudas… Antes de vir troquei meus livros do Manoel Bandeira, Graciliano Ramos e Fernando Pessoa. E sim, gastei grana da imigração com livros… uns trazem bandeira do Brasil (eu não tenho) e comida, outros literatura… ;)

26. Qual o maior (em número de páginas) livro que você já leu? 

A Bíblia? Ok. Eu não li a bíblia inteira, mas com 8 anos eu queria ler (eu e minhas ambições literárias… hehehe)… li todo o Gênesis e depois pulei para Levítico (devo ter lido um pouco de Êxodo e Números também)… tentei ler o Novo Testamento também, mas achava tudo muito chato… sorry, Jesus, mas gente que vive até os duzentos e poucos anos, aquele monte de pragas e um Deus vingativo é muito mais legal… hehehe… tentei ler Apocalipse, mas também não entendi todo o bafafá (talvez eu desisti antes de chegar na parte com mais emoção!?!)… a Bíblia me intrigou muito…  acho que o Levítico com todas as regras do que era puro e impuro foi o que mais me intrigou… e acho que foi ali que eu percebi que religião não era muito a minha…

27. Você costuma fazer anotações enquanto lê? Se sim, onde? A ideia de fazer anotações no próprio livro lhe assusta?

Depende… sempre anotei muito nos meus livros de direito, comunicação, sociologia, filosofia e tals… em literatura, nem tanto, mas fiz muitas anotações lendo Salinger (nos últimos anos, acho que foi o único livro que senti muita necessidade de anotar… Coetzee também deu vontadinha, mas era da biblioteca… hehehe…). Normalmente grifo ou anoto no cantinho dos meus próprios livros… ;) Acho gostoso reler livros com anotações da Juliana de outros carnavais…

28. O que você faz quando encontra uma palavra que não conhece durante a leitura? 

Em português e inglês eu deduzo pelo contexto, em francês eu preciso de dicionário. Coisa que dificulta bastante minha vida, já que leio muito no transporte público e andar com livro + Le Robert Micro não dá… hehehe Quero ver se eu baixo um aplicativo de um bom dicionário para o celular, mas eu sempre esqueço de procurar pela Apple Store…

:)

Meme Literário 2011 – parte 3…

15. Qual é o seu vilão literário favorito?

Valdemort?? Sauron?? Novamente, acho que Harry Potter e Senhor dos Anéis foram os únicos livros que li com vilões tradicionais (ou melhor, que eu me lembro no momento)…

16. Cite um livro que você achou que não iria gostar e acabou adorando. 

Harry Potter, eu acho… peguei para ler por curiosidade… minha prima, na época criança, que odiava ler (!!), devorava a coleção com afinco. Fiquei intrigada, mas não achei que fosse gostar… gostei.

17. Cite um livro que você achou que iria gostar e acabou não gostando. 

“J. D. Salinger, A Life” do Kenneth Slawenski. Era uma das biografias que eu queria comprar, junto com a da Patti Smith e do Keith Richards, ainda bem que não comprei… Ainda não desisti da leitura, mas ela simplesmente não flui.

18. Você lê livros que não são para sua idade? 

Sim, sim, sim!! Adoro literatura infantil! Dr. Seuss, Irmãos Grimm, Esopo, Monteiro Lobato, Beatrix Potter, Lewis Carroll, the list goes on and on and on… ;)

19 . Qual é o livro que você leu, gostou e recomenda para todo mundo ler também?

Vixi… eu não consigo recomendar um único livro a todo mundo… tenho amigos com gostos tão variados que fica difícil… já recomendei muito Kerouak, muito Salinger e Lewis Carroll.

20. Você gosta de poesias? Qual o seu poeta ou poema favorito?

Gosto. Mas não leio tanta poesia quanto gostaria… Em português meu poeta favorito é o Mario Quintana e o meu poema favorito é dele também… mas deixo claro que uso o termo favorito de forma não tão literal… eu gosto desse poema do Quintana desde pequena, então acho que ele merece o título de favorito por uma questão de longevidade… hehe

Canção da Garoa

Em cima do meu telhado,

Pirulim, lulim, lulim,

Um anjo todo molhado

Soluça no seu flautim.

 

O relógio vai bater:

As molas rangem sem fim.

O retrato na parede

Fica olhando para mim.

 

E chove sem saber por quê…

E tudo foi sempre assim!

Parece que vou sofrer:

Pirulim, lulim, lulim…

21. Quanto tempo em média você demora para ler um livro?

Considerando que tenho muitos livros não terminados, acho que a minha média tende ao infinito… hehehe… Depende muito… posso ler em um dia, um fim de semana, um mês, vários meses… e depende de vários fatores… exemplo, eu nunca terminei de ler o último Harry Potter… denial total… não queria que acabasse, logo, não terminei de ler…

Sou louca, eu sei…

continua…

:)

Meme literário 2011 – parte 1…

Nussa… já passou tanto tempo assim?? Fiz um meme literário ano passado (!!) E já estamos nessa época novamente! :D

A idéia é da dona deste blog aqui… gostei das perguntas, logo, farei o meme… óbvio que não vou participar da coisa de forma mais oficial ou oficiosa… confesso que não tenho muito saco pra isso… e vou postar 7 perguntas em um post semanal… poderia até programar posts diários… mas como já falei, falta saco… hehehe

Bora responder as perguntinhas…

01. Que livro que você está lendo?
Estou lendo dois livros no momento: “J.D. Salinger: A Life”, uma biografia do Kenneth Slawenski e “Gigi” de Colette. A biografia do Salinger está evoluindo a passos de tartaruga, o fato é que me sinto mal ao ler uma biografia de um autor que se opôs a vida toda a ter sua vida esmiuçada publicamente. Não tenho muito a dizer sobre Gigi… estou nas primeiras páginas e só comecei por que não posso mais renová-lo na biblioteca…

02. Qual foi o último livro que leu e qual é o próximo livro que lerá?
O último que eu li foi “The Book of Negroes”, já falei dele aqui no blog. O próximo será o “Selected Tales from Beatrix Potter” e tem mais um outro da Beatrix Potter aqui em casa… fazia um tempão que não pegava livro na seção infantil! Amo literatura infantil, uma amiga recomendou (depois descobri que o conto do Peter Rabbit é meu conhecido de infância) e resolvi ler na língua original.

03. Você lê resenhas de livros?
Até leio, mas não sigo nenhum blog de leitores ávidos, até pq os poucos que eu conheci tinham alguns livros de gosto bem duvidoso pelo meio…

04. Onde você gosta de ler?
Gostaria de ter um sofá confortavel o suficiente para ficar horas lendo… gostaria de não pegar  no sono em 5 minutos ao ler algum livro na cama… gostaria que o local onde minha leitura rende mais não fosse o busão/metrô…

05.Você costuma abandonar a leitura de um livro?
Óbvio que sim… mas não necessariamente em razão de detestar um livro (acho que isso só aconteceu com o último da série Crepúsculo)… começei uma releitura de Pride and Prejudice… minha pobre Jane Austin está encostada esperando por uma brecha entre os empréstimos da biblioteca… “As intermitências da morte” do Saramago também está nesse estado de hibernação…

06. Quem (ou o quê) inspirou seu amor por livros?

Não tenho idéia… sempre gostei de ler… e antes de saber ler, gostava que lessem para mim… acho que por ser filha única aprendi cedo que um livro é uma ótima companhia… lia de tudo… quando eu não tinha o que fazer na casa de minha vó, eu pegava a Barsa, e lia… Minha avó e minha tia mais velha são semi-analfabetas… meu avô lia bastante, minha mãe também, mas eu sempre li muito mais que eles… resumindo: não sei. ;)

07. Você costuma emprestar ou pegar livros emprestados?

Emprestar, nunca mais!! Acho que nenhum dos livros que emprestei foi devolvido! Mesmo estressando meu apego, que era importante que me devolvessem… yada yada… nunca recebi um livro de volta (ok, reconheço que uma amiga devolveu meu “Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão”,  (recomendo muito!!), mas logo em seguida eu o emprestei a uma outra pessoa, e ele nunca mais voltou…)

Pegar livro emprestado? Só da biblioteca… Já li muito livro emprestado nessa vida, só que, como não empresto, tento ser coerente e também não pedir emprestado.

Na próxima semana tem mais!

:)

Eu li…

“The Book of Negroes” do Lawrence Hill

Apesar de ter levado um tempão lendo esse livro, eu simplesmente adorei!! Leitura gostosa sobre a vida de uma personagem fascinante! Aminata Diallo não é real, mas sua história é  interessante demais, desde sua infância na Africa Oriental, sua captura, travessia do Atlântico num navio negreiro, sua vida como escrava numa plantação de indigo na Carolina do Sul, sua via em Charleston, em Nova Iorque, sua participação no Book of Negroes , sua vida e a dos demais Black Loyalists na Nova Escócia após a independência dos EUA, seu retorno à Africa até o fim de sua vida em Londres, ajudando a causa abolicionista (acharam pouco?! hehehe).

Como eu já disse a leitura é uma delícia. Apesar de eu não gostar muito de romances históricos (sou mais historiografia), eu gostei bastante do livro. O estilo do autor não tem nada de especial, mas ele sabe contar uma estória! E o que vale no livro é isso, a trajetória de Aminata e as pessoas que ela encontrou pelo caminho.

Meu livro preferido de todos os tempos? Não! Mas é um que eu estou considerando comprar para fazer parte da minha biblioteca… e é um livro que pretendo ler novamente no futuro…

:)

Virei abóbora…

Com o fim do verão,  a rotina de estudos recomeça… voltei ao francês… vou fazer um ateliê de fotografia na UdeM e participar do Les Mots Partagés… tudo pela imersão no francês!! E se, depois de tudo isso, meu francês não melhorar, vou desistir de tentar ser fluente e me resignar com meu francês podre, que entende, que lê, mas que não fala… paciência…

Como vocês devem perceber, minha vida vai ser bem corrida, pelo menos até novembro… não, isso não é um aviso que não vou postar pelos próximos meses, mas, se eu sumir, já se sabe a razão…

Eu acho que vi folhinhas avermelhando!! Confesso que deu um choquinho...

E, falando em abóbora, não vejo a hoja de chegar o tempo dessas delícias abundarem por aqui! Tento me manter fiel ao ciclo de plantio e comer o que é da temporada… só que estou azeda para comer abóbora assada e camarão na moranga!! Ai ai…

:)