Fora do ar…

Pois é… o post passado ficou meio contemplativo… ando um pouco assim… é o meu normal para essa época do ano…

em algumas semanas faço aniversário (30 primaveras! o.O)…

e  com a morte de mamis, o fato dela ter dois aniversários: seu nascimento de fato no 30 de junho (dia da minha mudança, by the way), que era uma data mais nossa,  e a data que consta no registro, 15 de julho, que é o que todo mundo comemora, me deixa sempre meio tristonha… ou talvez mais tristonha, já que nunca fui muito fã de comemorar o meu aniversário (e não, não é uma questão de não querer envelhecer) …

ando ouvindo muita música brasileira… Caetano, como mencionei ontem, e, mais do que ele, Clara Nunes, que minha mãe costumava cantarolar muuuito… não consigo não ficar com o olho cheio d’água ao ouvir ‘Conto de Areia’…

e ando pensando muito na vida… não é nada muito questionador… do tipo ‘onde fui amarrar meu bode?’… imigrar foi a decisão mais acertada que tomei na vida… o Québec me emputece bastante às vezes, mas não chega nem perto do quanto o Brasil me emputecia (e continua me emputecendo)… aqui eu sou feliz… não sei se minha felicidade vai estar para sempre no Québec, mas sei que minha felicidade não está no Brasil (com certeza não está na Grande São Paulo)… família que me perdoe, mas tenho comichão só de pensar em ir para São Paulo… sei que vou ter que fazer uma visita eventualmente… mas enquanto puder, procrastino…

e às vezes me questiono o que é pior: essa saudade louca que faz o povo voltar sempre para o Brasil ou não sentir isso… pq, vou ser honesta, amo minha família, mas quero muito mais conhecer o mundo do que visitar Santo André (e sei que eles não entenderiam que, dada a opção entre fazer uma viagem legal (não precisa nem ser a viagem dos sonhos) para qualquer parte do mundo e ir para Santo André, eu optaria para ir para qualquer outra parte do mundo)… isso faz de mim uma pessoa ruim? não acho que faça… mas me faz sentir culpa… e culpa pesa muito mais que saudade… hehe…

Anyways… o fato é que estou contemplativa.. e estou de mudança…  ando muito cansada… cansada a ponto de dar umas pescadas no trabalho (!!)… me auto diagnostiquei com estafa física e emocional…

Então aproveito o momento para dar uma pausa no blog… de alguns dias apenas… prometo que volto, depois de dormir bastante no 1˚ de julho, com as energias recarregadas,  fotenhas da mudança, do cafofo novo e de Ste Anne, sempre lindinha…

:)

Anúncios

8 pensamentos sobre “Fora do ar…

  1. Juliana, 2 coisas:
    – acho que o Quebec permite um monte de reflexões, e apesar do pouco tempo morando aqui, me identifico com as questoes que vc cita. Acho que é justamente a mudança que – para mim – levantou a poeira e trouxe uma nostalgia… de tempos bons… mas no meu caso é uma jogadinha da mente para fingir que tudo o que eu vivi era de bom demais…
    – tambem sou de Santo André…
    Bem… bom descanso… até breve! Ficarei esperando novos posts!

    • Oi Ana! Obrigada por comentar!

      Pois é… vc sabe que no meu caso não? Sinto saudades, mas não é tanto nostalgia… meus ultimos anos no Brasil foram tão desagradáveis (para não dizer ruins) que conseguiram ofuscar um pouco que aconteceu de bom antes… hehe…

      E se vc é de Sto André, me pergunto se não temos algum conhecido em comum… ;)

      Bjo,
      Ju

  2. Isso tudo parece ser fuga mental da mudança, para lhe tirar o foco (bem normal, diga-se de passagem, que eu bem conheço quando tenho algo chato pra fazer). Sobre a culpa, é uma coisa judeu-cristão que não acrescenta nada e lhe dá uma sensação de contrapartida, do bom sofrimento… é bem complexo para divagar aqui. Keep calm and carry on… ah, e se puder, poste mais sobre música brasileira (que eu também amo) e fotinhos do lugar lindo que vc escolheu!

    • Oi Georgiana,

      Pode até ser… mas julho sempre foi um mês complicado pra mim… antes do 1o de julho, antes de mamis ter ficado doente… Freud explica, mas é muita psicologia para este blog… hehehe

      E sobre a culpa, vc pode tirar a garota do cristianismo, mas não tira o cristianismo da garota… Freud tb explica… hehehe

      Postarei mais sobre música sim… e as fotenhas de Ste Anne já começaram a aparecer ;)

      Bjs,
      Ju

  3. Querida, alguns questionamentos seus já me abatem aqui mesmo:( Não acho que vc seja uma pessoa ruim, mas sensata e muito, muito forte!!! Eu já achava isso antes de conhecê-la e isso foi reforçado após o pouco tempo que pudemos passar juntas. Acho muito corajoso imigrar sozinha, acho muito valente enfrentar a falta da mami, respirar fundo e ir atrás de um objetivo, acho heróico ser mulher, sozinha, latina e enfrentar as dificuldades e ignorância do começar de novo, começar mesmo!
    Às vezes falamos de vc e sempre friso pro Wil, o orgulho e ponta de inveja (sorry!) que sinto de vc!!!
    Eu sou meio manteiga:( Já sofro por deixar papis e mamis por aqui e mais 3 irmãs, todas mais novas, um empreguinho estável, um bairro muito bom (do que é possível para uma cidade como SP), amigos, a familiaridade com tudo (lugar, idioma, formação, leis, costumes, comidas, música…). Não tenho fluência em francês e sou uma tábua no inglês, mas tenho muito medo do que enfrentaremos e muita, muita, fé e esperança de que sofrerei um pouco, mas tudo se encaixará e as coisas darão certo.
    Tenho ânsia por conhecer novos amigos, por poder renascer, por descobrir, por revela-me à tudo que não me conhece.
    Entendo seu sentimento de culpa e sei o seu peso, porém, não acredito que seja o tempo e nem a situação para se deixar abater por ela! Vc não está ai há 10 anos sem ver sua família, vc ainda não usufruiu de uma estabilidade, sobretudo com relação à residência, que te dê paz e descanso para se ocupar com os outros e dar confiança para a culpa. Vc mesmo diz que está cansada! Vc já tem muita responsabilidade e compromisso consigo mesma e, com certeza, os que te amam concordam e entendem isso!
    Quando tudo estiver mais estável e vc mais sossegada e descansada, poderá, e olha lá, deixar a pontinha de culpa aparecer.
    Parabéns!!!!! Aproveite e siga aliviada!!!

    Abração!!!!!!!!!!

    • Obrigada pelas palavras lindas!! :)

      Nem sei o que dizer… sério… matutei muito, mas não sai nada mais do que ‘obrigada, do fundo do coração’).

      E sobre suas preocupações, e levando em conta que eu estou sem palavras, mando um recado do Fernando Pessoa:

      “Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
      Mas nele é que espelhou o céu.”

      :)

  4. Olá!
    Ju, tb te acho muito corajosa por imigrar sozinha. Não se sinta culpada porque a culpa não serve para nada, só para nos deixar pra baixo. Costumo dizer que a culpa (e outros sentimentos negativos) são pertubações da nossa mente.
    Nesta última viagem à Montréal, o nosso pequeno tour pela cidade é uma lembrança alegre que guardo.
    Eu acho que quando a gente não tem a ver com o lugar e quando encontramos um lugar onde a gente se identifica mais em vários sentidos, é normal não sentir saudades do que deixamos para tras. Bom descanço e relaxe!!! Bjs Tati

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s