O lago negro da força (2)…

Ou seria o lado feioso de CDN (2)?

Precisei ir no Plaza Côte-des-Neiges ontem… e, curiosa, dei uma passada na Zeller de lá, que fai ser fechada e está em queima de estoque. O estado da loja me deixou meio em estado de choque:

Nunca estive numa loja em queima de estoque total por conta de fechamento, aqui ou no Brasil, mas o estado quase que de zona de guerra me pareceu desproporcional… as fotos não mostram direito, mas tinha muita coisa quebrada, embalagem aberta, enfim…

E vendo esse tipo de comportamento coletivo ou seria anti-coletivo, que é supercomum na região, me pergunto se a grana gasta na integração de imigrantes à sociedade québécoise vale alguma coisa… qual é o grau de eficácia desses programas? Alguns dizem que o Canadá quer mesmo os nossos filhos, mas que filhos serão esses? Os desse povo vão se integrar, ou vão continuar com o círculo vicioso?

:)

Anúncios

10 pensamentos sobre “O lago negro da força (2)…

  1. Isso me choca tanto quanto toda sujeira deixada nos metrôs e nos parques após os barbecues coletivos. Não quero participar disso, quero ir embora pra Passárgada… hahahah eu tô rindo, mas eu me sinto profundamente abalada, não sei. Essa semana assisti uma reportagem sobre o Mont Royal e é desolante a falta de consciência coletiva de todos daqui. Na Europa do norte, a coisa pública é de todos e parece que, em Montréal e no restante da América Latina, o público é de ninguém… apesar de saber da sujeira e do descaso, mesmo antes de vir pra essa canto, isso ainda me abala muito. A ausência de consciência coletiva na cidade é um problema bem complexo, que tem origem em vários fatores, que não caberia aqui discutir, talvez em outra oportunidade. Acho que nosso dever é agir diferente disso tudo, para fazer um mundo melhor. Vixi, ficou cafona! =)

    • Pois é… me pergunto se a falta de consciência coletiva é algo comum a todas as colônias de países latinos católicos… e quando estive aqui antes de imigrar, senti um quê de Brasil no Québec… achei que isso não me afetaria tanto… doce ilusão…

      E não ficou cafona… temos que agir de forma diferente… e vou ser honesta, pra mim é extremamente difícil não ser preconceituosa quando eu vejo, especialmente aqui em CDN, que quem age erradinho são os imigrantes… dói… muito… pq faço parte dessa classe, mas não quero ser confundido com eles… Enfim… discussão que não cabe em blog… hehe

  2. Nossa que absurdo! A Zeller’s aqui perto de casa não está nem na metade dessa confusão e eu já fico indignado, imagina ver isso tudo ao entrar na loja….tem certeza que não houve um “arrastão” ? rsrs

  3. Acho que os brasileiros vão para o Canadá procurando um País perfeito,com pessoas perfeitas,política perfeita,enfim…Qualquer lugar do mundo,irá existir gente que não tem educação,que não pensa no coletivo.

    • Bom, eu estive aqui antes de resolver imigrar… vi o bom e o ruim… não esperava o país perfeito… só mais condizente com as minhas crenças… CDN não condiz (ou melhor, uma parte de CDN não condiz, afinal, não dá para generalizar o bairro)…

  4. Olha que eu já vi queima por causa de fechamento de loja e não chega perto do que vc mostrou!
    As interrogações que podemos levantar sobre as imagens são tantas e complexas que não tem como sabermos o que realmente causa esse comportamento: Os canadenses agem de forma desordenada mesmo, numa situação de liquidação??? Essa bagunça não é aparente aqui porque, a mão-de-obra é barata e existem muitos funcionários organizando e vigiando os produtos? Quem causou isso foram, sobretudo, estrangeiros?
    E, dessa última questão surgem outras 3 questões: Estrangeiros em geral? Refugiados e ilegais que não tem uma noção profunda de nação, civilidade, educação e nem teve a preparação, ansiedade e desejo de imigrar como, por exemplo, os brasileiros? Ou, ainda, foram estrangeiros que passam pelos serviços de inserção social oferecidos pelo governo, estão mais ou menos inseridos na comunidade e agem com falta de educação total, mesmo sabendo o ser, pq são idiotas e pq isso está tão arraigado em si que não conseguem mudar?
    Concordo com a Bianca, que em qquer lugar tem gente mal educada e sem noção, mas, em se tratando de 1º mundo, as imagens surpreendem! É como se não me merecesse.
    Qdo estive em Montréal, fui à Gap da Ste Catherine e fiquei meio admirada da quantidade de roupas no chão, no setor de ofertas, em que ficam mais juntas, no fundo, do lado do caixa.Tive que abaixar para olhar as opções e acabei recolhendo e pendurando algumas que estavam caídas.

    • Até onde experimentei, não, os canadenses não agem dessa forma… as filiais em CDN da grande maioria das lojas (as que eu posso comparar: Zellers, Canadian Tire, Wall Mart, Maxi) são mais bagunçadas, mais sujas, etc… CDN é um bairro com altíssima proporção de imigrantes e com regiões muito, mas muito pobres (suponho que nessas regiões existam muitos refugiados e imigrantes que vivem de BS)… e aqui parte-se do princípio que não existe necessidade de se vigiar, pura boa fé de que haverá respeito pelo que é público e pelo que é privado…

      O que me deixa um pouco puta é que existe um gasto enorme do governo em inserir culturas diferentes na sociedade québécois e isso parece dinheiro ido para o ralo… pelo que vejo em CDN, pelo menos, é o que parece… Não tenho nada contra a formação de guetos (me parece ser algo até natural, afinal, tentamos nos manter próximos dos que nos são afins)… mas manter hábitos que são totalmente contra a cultura local (especialmente nas coisas pequenas, como lixo) é o ó do borogodó…

  5. Pessoal adorei o post, esse tipo de debate é difícil de ocorrer nos bolgs brasileiros, talvez porque muitos tem medo de quebrar sua confiança no processo, contudo segue a minha opinião:
    Não tem segredo, como alguns já disseram aqui, em todo o lugar do mundo tem gente que não presta e o Canadá não seria diferente. Sei que as raízes e do motivo que leva alguém agir desse jeito na Zâmbia ou no Canadá são muitas e complexas, talvez será o tema de um premio Nobel um dia, eu deixo isso para os cientistas e estudiosos, enquanto isso, vandalismo é crime, e deve ser tratado assim! caçando e punindo os culpados. Não quero desapontar ninguém que esteja decepcionado com o comportamento humano, sinto dizer que é um mal mundial. Aqui (Brasil), esse tipo de crime não causa nenhuma comoção social, nem assassinato, latrocínio, estupros ou abuso infantil. A sociedade brasileira se a costumou com essas atrocidades e como consequência, entrou em um espiral de negação o que na na minha opinião é o inicio do fim. Espero que no Canadá a opinião publica seja mais forte contra esses atos, acho que isso sim faz a diferença.
    Por fim, não tem jeito, o imigrante sempre terá a pergunta na cabeça, será que eu fiz a coisa certa? Temos que achar nosso pedaço de chão e vivermos nele com honestidade e perseverança.

    Obrigado pelo tema,
    Abrs,
    Eduardo

    • Oi Eduardo,

      Obrigada pelo comentário!

      Olha, a pergunta ‘será que fiz a coisa certa’ no quesito imigrar eu não faço pq sei que foi a coisa certa. E mesmo no mudar pra CDN, não me questiono muito não… viver em CDN fazia sentido no momento que eu assinei o Bail (tudo bem que deixou de fazer sentido algumas horas depois, quando recebi a proposta para o emprego atual, mas eu não detesto 100% do bairro) se eu estudasse na UdeM, continuaria morando aqui, talvez mudaria de apartamento, e só… A grande verdade é que boa parte dos bairros de Montreal tem regiões boas e outras nem tão boas assim…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s